É sabido que, no Brasil, as igrejas, bem como os demais templos religiosos, possuem imunidade tributária, prevista no art. 150 da Constituição Federal de 88. Isto é, não cabe incidência de impostos, taxas ou contribuições sobre as receitas e atividades dessas instituições.

Contudo, tendo em vista esse benefício fiscal e a ausência de informações suficientes, muitos pastores, tesoureiros e até alguns profissionais de contabilidade consideram não haver necessidade de um serviço contábil para as igrejas, o que é um erro.

Leia mais!