Compartilhe!
Share on Facebook22Share on Google+0Tweet about this on Twitter2Pin on Pinterest0Share on LinkedIn9

A Lei complementar 155/2016 traz uma grande novidade sobre o cálculo de impostos para os estabelecimentos de beleza.

Cabeleireiros, barbeiros, esteticistas, manicures, depiladores e maquiadores terão excluídas de sua base de cálculo, para o Simples Nacional, o valor pago ao profissional autônomo parceiro.

Como acontece neste mercado, os salões de beleza pagam ao profissional um percentual do atendimento, normalmente 60% do valor cobrado. Sendo assim, em 2018, este valor deixará de fazer parte da base de cálculo do Simples Nacional.

 

O que vai acontecer na prática

Se um salão cobra, por exemplo, R$ 100,00 do cliente pelo corte de cabelo, mas tem um contrato de parceria com a cabeleireira de R$ 60,00 por corte, logo, a receita do salão é R$ 40,00 e não R$100,00.

Antes, a receita do salão seria calculada como R$ 100,00 e pagaria imposto em cima dos R$ 100,00. A partir de janeiro de 2018 o salão pagará imposto apenas em cima dos R$40,00.

 

Isso é bom, não é mesmo? Se você é empreendedor do ramo de beleza e precisa de uma assessoria contábil especializada faça contato com a gente agora mesmo [CLIQUE AQUI].

 

Como os salões de beleza serão afetados pela mudança no Simples Nacional
5 (100%) 6 votos
Compartilhe!
Share on Facebook22Share on Google+0Tweet about this on Twitter2Pin on Pinterest0Share on LinkedIn9